15 agosto, 2007

Sandra Nasic a solo

Sandra Nasic, ex-vocalista, dos germânicos e extintos Guano Apes, vai lançar
o seu álbum de estreia a solo.


Intitulado "Signal",o álbum incluirá 13 temas originais,dos quais se destacam os temas "Fever", "Mecasanova" e "Name of my baby". Alguns destes temas estão disponíveis em formato áudio e vídeo no site oficial da artista disponível em: www.myspace.com/sandranasic. "Fever", cujo lançamento está previsto para o próximo mês de Setembro, será o primeiro single a ser extraído de "Signal". O álbum, não tem, ainda, data marcada para entrada no mercado, contudo, segundo avança o mesmo site prevê-se o seu lançamento no Inverno.

O trabalho foi desenvolvido em várias cidades europeias de Londres a Estocolmo, passando pela tua Alemanha Natal, mais concretamente em Berlim. Oliver Pinelli é o produtor que a acompanha ao lado do "mixer" Peter “JEM” Seifert.

Embora tenha estado à frente do quarteto Guano Apes, ao longo de 10 anos de exsitência da banda, Sandra, desenvolveu outros projectos paralelos. Em 2001 escreveu e vocalizou "Path vol. II" com os Apocalyptica, falou-se pela primeira vez da sua carreira a solo. Apesar de manifestar a sua vontade em seguir esse caminho, refutou, na altura, a possibilidade de abandonar a banda para o efeito.

Participou, ainda em alguns outros projectos extra-Guano Apes. Em 2003 junta-se a DJ Tomekk dando voz a "Beat Of Life". Tendo, também participado em "First true love affair" com os Saprize.

Guano Apes em retrospectiva
A banda originária de Göttingen, formou-se em 1994 e começou por tocar em pequenos bares e clubes. Sandra Nasic, Stefan Ude (baixo),Henning Reumennapp (guitarra) e Dennis Poschwatta (bateria), vencem, em 1996, o "Local Heroes", um concurso de descoberta de novos talentos organizado pelo canal alemão Viva2.

O prémio deu-lhes a oportunidade de gravarem "Proud like a God", aquele que viria a ser o seu primeiro álbum de originais. Lançado em 1997, inicialmente no seu país de origem e depois por toda a Europa, teve como single de apresentação "Open your eyes". Segui-se o tema "Rain" e "Lords of the boards", que viria a ser o hino oficial do Campeonato de Snowboard '98 na Áustria.

Com "Don't give me names", o sucessor de Proud like a God, apesar de terem afirmado em várias entrevistas não gostarem de "ser rotulados" mantém o estilo "crossover", que os próprios defeniam como uma mistura de vários estilos musicais desde o pop, rock, ska, entre outros.

Entre temas que comprovam a sua "rockicidade" como "No speech" ou outros mais "melodiosos" como "Living in a Lie" o álbum percorre outras vertentes. Nele inlcuiram uma versão da música "Big in Japan", dos, também alemães, Alphaville e em "Mine all mine" exploram novos sons, desta feita "flamenco", a cargo de Alberto Manzanedo Alvarez. Em "Anne Claire" convidaram os violinos de Marc Steylaerts e Veronique Gilis combinando-a com a viola de Marc Tooten e as cordas de Hans Vandaele.

"Walking on a thin line", o terceiro e último album de originais data de Fevereiro de 2003. "You can't stop me", "Pretty in scarlet" e "Quietly" ,foram os singles de apresentação. Enquanto que outros como "Electric Nights" marcam uma investida no electrónico, "Kiss The Dawn", ganhou um novo nome, originalmente chamava-se "Come to me", quando começou por ser apresentada ao vivo.

No Verão do mesmo ano editam o seu primeiro álbum ao vivo "Guano Apes Live". E em 2004, é a vez de "Planet of Apes" - o best of, produzido por Fabio Trentini e pela própria banda. Em edição dupla cd e dvd, ouvimos exitos passados como "Kumba Yo!", uma versão onde o tradicional "Kumba ya my lord". O cómico e actor alemão Micheal Mittermeier junta-se ao planeta dos macacos para, assim, lhe dar uma nova sonoridade.

A vida no seu "planeta" não se resumia, contudo, a acordes rock. Nele pudemos, também encontrar "Don't You Turn Your Back On Me", escrita para a banda sonora do filme alemão "Meschugge", de 1999. Este tema, resulta também de uma parceria. Foi assi, que lado a lado com Niki Reiser o grupo editou um dos seus temas "mais suaves". Sucessos passados dão lugar a novas apostas: "Break the line", "Stay" e "Underwear", foram os inéditos deste álbum.

No dvd por sua vez, podemos ver e ouvir aquele que foi, segundo os próprios" um dos momentos mais altos da sua carreia": a banda em concerto no Festival Sudoeste, um momento pelo qual os fãs portugueses esperavam há muito.

As "Lost Tapes" lançadas em 2005, o mesmo ano em que a banda dá por encerrada a sua carreira, inlcuiram curiosidades sobre os bastidores e histórias das suas músicas. Ficamos a saber que “Hanoi” viria a chamar-se "La Noix", música que integrou o single "Big in Japan" e a única escrita em francês por Sandra Nasic. Ou mesmo "Suzie", do seu álbum de estreia, que nos primórdios se designou "Ignaz”.

Numa década de vida o quarteto passou por alguns dos maiores festivais de música europeus, como o Lowlands na Holanda, Festimat em Espanha,Beach Rock Festival na Bélgica ou o Zvoksok-Festival na Eslovénia.

Uma espécie rara em terras lusas
Embora tenham chegado a terras lusas apenas em 1999, com um showcase no Paradise Garage, em Lisboa, rapidamente subiram aos tops nacionais de vendas.

Em Portugal, foram a única banda que actuou em todos os festivais de verão: Sudoeste (2000), Super Bock Super Rock (2000), Paredes de Coura (1999), T99 (1999), Vilar de Mouros (2003) e até as Queima das Fitas de Porto, Coimbra, Lisboa e Faro (2002), tendo também passado pelo Festival Marés Vivas, em Gaia (no Verão de 2001) e esgotado os Coliseus do Porto e Lisboa, tal como reportou a imprensa na altura. O seu último, em Portugal, viria a decorrer no Festival do Ermal,em 2004.

A recepção que sempre tiveram em Portugal, levou-os a afirmar, em vários orgãos de comunicação nacionais e europeus "Portugal é a nossa segunda casa". Em 2000, ano em que encerraram mais uma edição do Festival Sudoeste, gravaram parte do videoclip de "Living in a Lie",em forma de agradecimento pela dedicação dos fãs lusos. Este tema ficaria para sempre na memória dos fãs portugueses, que não tardaram a retibuir a dedicação. No concerto que se seguiu,onde foram mais uma vez cabeças de cartaz, desta vez no Festival Marés Vivas, o clube de fãs português, oficialmente reconhecido pela banda e respectivo staff, organizou uma iniciativa surpresa, tendo feito rolar pelas primeiras filas da audiência uma faixa de 300 metros, pintada à mão pelos fãs, com a frase "In Portugal you'll never be living in a lie, we love you forever".

Não será de estranhar que o primeiro e único [de então] clube de fãs oficial da banda, tenha nascido em Portugal, logo após o Festival Sudoeste, e não na sua Alemanha de origem. Pedro Martins, criador do clube chegou mesmo a ser convidado pela banda para cantar com eles "Kumba yo!".

O quarteto arrecadou, também vários prémios. Com o seu albúm de estreia ganharam o "IFPI-Award" por vendas superiores a um milhão de cópias. Em 2000 vencerem o MTV Award na qualidade de "Best German Act", seguindo-se o ECHO, o VIVA COMET e o 1LIVE-Krone.

Os outros "Apes"
Actualmente sobre os restantes elementos dos ex-Guano Apes, pouco se sabe, as últimas informaçãoes avançadas pelo seu [ainda em funcionamento] site oficial, datam de Março último. Em www.guanoapes.org pode ler-se alguns dados sobre o album de Dennis Poschwatta, “Clemenza”. O ex-baterista dos "Apes" integra agora a banda Tamoto, onde trabalha com G-Balls, que em tempos trabalhou com o grupo nomeadamente nas remixes de "Plastic Mouth" tema do seu terceiro de originais.

Joana Pereira, fã da banda desde 1999, tem acompanhado o grupo dentro e fora de Portugal. Em território nacional poucos concertos falharam na sua agenda. Quanto à carreira de Sandra adianta "depois de ver todo o potencial dela nos Guano Apes, e de tanto tempo à espera do seu álbum a solo, só posso ter elevadas expectativas". "Ouvi os excertos de músicas e vi o vídeo dela assim que foram colocados
online no seu Myspace. Achei as músicas bastante boas, estava com receio que
a sonoridade fosse diferente, mas surpreendeu-me pela positiva. O vídeo está excelente, além de termos acesso a uma música na totalidade, adorei rever a Sandra em palco".

Joana conheceu Rita num concerto,em Lisboa, em 2003. Também ela, fã do grupo desde 1999 e também ela viria a percorrer o país de norte a sul para acompanhar os seus concertos.Em 2004 a paixão pela banda levou Rita de Lisboa ao Ermal, para se despedir do quarteto. De todos "os bons momentos" passados com a banda refere um em particular, passado naquele festival: "quando tive o prazer de ter o reconhecimento da Sandra Nasic,enquanto fã de Guano Apes!"

Com a excepção da mudança de visual que a torna mais "feminina" Rita Sequeira espera com grande expectativa o álbum homónimo da ex-vocalista dos "Apes"."Em relação ao álbum da Sandra,só quando o ouvir no seu todo é que posso dar uma opinião concreta,mas adorei o primeiro videoclip dela,acho que está igual a ela própria,a velha Sandra que sempre conhecemos,já dá para matar as saudades".
Quanto aos projectos paralelos dos restantes ex-membros "para ser sincera,ao inicio fiquei curiosa pelos Tamoto,isto porque,ainda não havia novidades da Sandra,mas agora é só mm pela Sandra!"

Mais sobre a banda em:
www.guanoapes.org

Mais sobre Sandra a solo em:
http://www.sandranasic.de/

Mais sobre os Tamoto:
www.tamoto.tv


Texto: Daniela Costa
Fotos: (c) www.guanoapes.org e www.sandranasic.de
Agradecimentos especiais a Joana Pereira e Rita Sequeira

1 Comment:

Joana said...

Muito bem escrito afilhada :)

Congrats!